NÚMERO 6



STRESS, FADIGA E FUNÇÃO COGNITIVA

“O ómega 3 pode ter um papel decisivo na saúde cognitiva, no atrasar do declínio da nossa função cerebral, e funcionar como um “boost” para a nossa capacidade intelectual, atenuando os efeitos de dois fatores, a fadiga e o stress imposto pela nossa vida”


PROF. DR. JOSÉ SOARES

PROFESSOR CATEDRÁTICO DE FISIOLOGIA NA FACULDADE DE DESPORTO DA UNIVERSIDADE DO PORTO



Image article 1

YOUNG AS | ARNOLD LE | WOLFSON HL | FRISTAD MA.
PSYCHOEDUCATIONAL PSYCHOTHERAPY AND OMEGA 3 SUPPLEMENTATION IMPROVE CO-OCCURRING BEHAVIORAL PROBLEMS IN YOUTH WITH DEPRESSION: RESULTS FROM A PILOT RCT
J Abnorm Child Psychol | 2016 Sep 8

Neste estudo piloto randomizado, foram estudados os efeitos da suplementação de ómega 3 no comportamento de jovens com depressão. Os resultados deste estudo piloto sugerem que uma intervenção psicoterapêutica (Individual-Family Psychoeducational Psychotherapy (PEP; a family-focused, cognitive-behavioral therapy), combinada com ómega 3, pode ser considerada uma abordagem promissora para os sintomas comportamentais que ocorrem em jovens com depressão.


Image article 2

KÖNIGS A | KILIAAN AJ.
CRITICAL APPRAISAL OF OMEGA 3 FATTY ACIDS IN ATTENTION-DEFICIT/HYPERACTIVITY DISORDER TREATMENT.
Neuropsychiatr Dis Treat | 2016 Jul 26;12:1869-82

O défice de atenção/hiperatividade (TDAH) é um distúrbio neurológico comum. O tratamento clássico do TDAH tem revelado efeitos colaterais graves e intolerância. Consequentemente, tem-se assistido a um interesse crescente em tratamentos alternativos. Ao comparar os níveis de ómega 3 em pacientes com TDAH com aqueles revelados em controlos com a mesma idade, são evidentes os níveis mais reduzidos nos pacientes. Os ácidos gordos ómega 3 são nutrientes essenciais e necessários para um bom funcionamento e desenvolvimento cerebral. Além disso, existem fortes indícios de que a suplementação com ómega 3 poderá ter efeitos benéficos sobre TDAH, ainda que a investigação não tenha sido completamente conclusiva. Foram pesquisadas as bases de dados MEDLINE, PubMed e Web of Science com palavras-chave como "TDAH" e "ω-3/6 PUFA" (omega-3 polyunsaturated fatty acids) e foram identificados 25 estudos que preencheram os critérios de inclusão e exclusão. Os resultados destes estudos são contraditórios, mas, em geral, mostram evidência para um tratamento bem-sucedido de sintomas de TDAH. A tolerância aos suplementos foi elevada e só foram relatados efeitos colaterais leves. Em conclusão, existe evidência de que este tipo de suplementação pode ter um efeito positivo sobre TDAH. Deve acrescentar-se que o tratamento pode ser mais eficaz em pacientes com formas leves de TDAH. Além disso, a dosagem de medicação estimulante pode ser reduzida quando usada em combinação com suplementos de ómega 3. São necessários mais estudos para investigar os mecanismos subjacentes que podem levar a uma redução dos sintomas de TDAH.


Image article 3

VAN DER WURFF IS | VON SCHACKY C | BERGE K | ZEEGERS MP | KIRSCHNER PA | DE GROOT RHM.
ASSOCIATION BETWEEN BLOOD OMEGA 3 INDEX AND COGNITION IN TYPICALLY DEVELOPING DUTCH ADOLESCENTS.
Nutrients | 2016 Jan 2;8(1).

O impacto de ácidos gordos poliinsaturados de cadeia longa ómega 3 (LCPUFAs) sobre a cognição tem sido objeto de numerosos estudos. Nesta investigação, foi avaliada a relação entre ómega 3 LCPUFAs no sangue e o desempenho cognitivo de 266 adolescentes com desenvolvimento típico, com idades entre 13-15 anos. No início do estudo, os participantes terminaram uma bateria de testes neuropsicológicos - Digit Carta Substituição (LDST) - teste de atenção, dígitos frente e trás e Teste de Stroop. Os resultados mostraram uma associação entre o ómega 3 e a velocidade de processamento de informação e a menor impulsividade naqueles com um maior índice deste composto.


Image article 2

WEISER MJ | BUTT CM | MOHAJERI MH
DOCOSAHEXAENOIC ACID AND COGNITION THROUGHOUT THE LIFESPAN.
Nutrients | 2016 Feb 17;8(2):99.

O ácido docosahexaenóico (DHA) é o ómega 3 predominante dos ácidos gordos poli-insaturados (PUFA) encontrados no cérebro que se sabe afetar a função neurológica modulando vias de transdução de sinal, a neurotransmissão, a neurogénese, a mielinização, a função do recetor de membrana, a plasticidade sináptica, a neuroinflamação, a integridade e organização da membrana. O consumo de DHA leva a muitos efeitos fisiológicos e comportamentais positivos, com especial relevância para a cognição, para o melhor desenvolvimento e envelhecimento das habilidades cognitivas e tem impactos profundos sobre a qualidade de vida, produtividade e progresso da sociedade em geral. No entanto, a dieta moderna geral carece de quantidades apreciáveis de DHA. Portanto, em populações modernas, a manutenção dos níveis ótimos de DHA no cérebro durante todo o tempo de vida provável requer a obtenção de DHA pré-formado através de fontes alimentares ou de suplementação. Nesta revisão, vamos examinar o papel do DHA na cognição ideal durante o desenvolvimento, na idade adulta e no envelhecimento, com foco em evidência humana e possíveis mecanismos de ação.